21/03/2015

Meu amor


Meu amor…
Assim começam tantos poemas e tantas promessas.
A minha saudade começa também assim…
E nesses sentidos passados e presentes
Se amarram os afetos com que me abraças,
Se rasga o sorriso com que me acordas
E o bom-dia com que me saúdas.
Poderia dizer-te que te amo, Meu Amor?
Mas essa seria a verdade mais inverdadeira,
Porque o amor não é um verbo transitivo, mas recíproco.
Mas se amar fosse verbo e não a essência de ser…
Gostaria de amar-te em todos os tempos,
Modos e vozes, flexões e conjugações.
Nas formas finitas, (amar finito?)
E nas formas ainda não formadas…
Meu amor,
Amar é um caminho, nunca uma chegada.
Amar tem partida, não tem meta ou limite.
Amar tem melodia e encantamento.
Amar é o infinito e o motor do pensamento.
Amor é o fermento desses momentos,
Em que as palavras já não chegam
Ao perfume do breve e eterno sentimento.
Que é um misto de prazer e tormento…
Meu amor,
Somos já uma névoa do que fomos,
Seremos  horizonte dum dourado poente?
Meu Amor,
Este é o momento
Porque o Amor é  presente.

06/03/2015

Perdido Horizonte




O perfume róseo deste poente
Escreve na saudade do teu rosto
Todo o amor duma tarde de março,
Pinta toda a distância dum abraço
Entre o agora, o ontem e o amanhã

 
 

 
 
A amarra do horizonte, sempre longe
Cava um buraco na esperança,
Mas ele é a própria esperança
De te encontrar numa memória
De perfume suave de rosas
Temperado de dourados
Por entre as vides podadas
Trepadas de maracujazeiro,
De mim mesmo e da vinha
Que abraça, na ausência de ti,
O frio arame da latada
E nele vive a distância de um beijo
Ou afaga a chama de uma paixão
Que o poente ainda embala
Até a noite em silêncio a abafar.

 

O sol radioso está lá.
Abre os braços como ramos
Sobre um horizonte perdido
Onde já não estou, nem tu estás
Mas estamos lá, na ausência
Do que já fomos
Ou nunca chegámos a ser.

 
E destarte,
O amor muda-nos a alma,
Muda-nos o horizonte
E a saudade muda-se nele .


27/02/2015

SOU APENAS MOMENTO!



Hoje vou devagar ...
porque quero demorar o sabor  das maçãs;
Reter o aroma do caminho;
Quero que o olhar capte todo o azul do horizonte;
Quero que o eco da melodia do mundo
Seja carrilhão sineiro dum  horizonte de saudade.
Quero apanhar uma gavela  da ternura  do teu perfume
Tão distante e tão cruelmente perto.
Hoje gostava de regressar ao ontem
Com o desejo lento dos amanhãs!
Mas o tempo é o tempo
E eu sou apenas uma passagem;
Eu sou apenas um momento!
O momento entre o agora
e outro agora. E  apenas isso!
Ou nem isso!...